quarta-feira, 4 de janeiro de 2012

.Disse para que lhe faltasse o ar, disse e depois calei-me.


Eu queria perguntar de alegrias maiores que não sei. Eu seguia o andar dela com olhos de pergunta, mas pensava que se perguntasse, o temporal de novo, a lua atravessada de nuvens, e as espadas, e o ouriço. Emudeceu encostando-se à mesa, passou a língua nos lábios, no canto da boca a carne com tremuras. Eu queria perguntar de alegrias pra ela quando suas mãos geladas tocaram-me.

2 comentários:

Alinne Góes disse...

Fiquei aqui tentando escrever algo no mínimo interessante, mas não consegui...
As únicas palavras que me rodeiam agora, se resumem a uma pergunta:

Quer casar comigo?

É, só eu sei
Quanto amor eu guardei
Sem saber que era só prá você.

AlterEgo disse...

Memórias, crônicas e declarações de amor.

Me restaram as crônicas...