terça-feira, 2 de março de 2010

.Só as coisas de rasa importância.

Os ensaios são atribuídos às idéias, como “sendo eternas e não mudando e nem desaparecendo, não se alterando nem diminuindo”; “um ser por si mesmo, para si mesmo, eternamente uniforme”; apesar disso o ensaio continua sendo “idéia”, pois não capitula diante do peso do ente, nem se curva diante do que apenas é.

Theodor Adorno. O ensaio como forma.



Um comentário:

p. Trv disse...

[...] em vez de faces, jeitos, vozes, nomes, cheiros, chegam-me somente emoções confusas ou palavras como estas - doloroso, amargo, irreparável.