quinta-feira, 25 de março de 2010

Ja te fiz verdade?


E agora, o que faz?

Sua vida, pertence, incomoda...

Sua ausência que a dor não perdoa.

Meu pensar que em ti ecoa,

vai saber se é mentira e nem tente,

resposta!

Cadê seu futuro, tirana, mente?

Cadê à noite, pequena, entrega?

Cadê o vazio, soberana, recria?

Cadê a roupa, vadia, descobre?

Cadê o sem nome, fosfena, dissolve?

Cadê meu medo, silêncio, arranca?

Cadê o sono, menina, devolve?

Lg.


5 comentários:

Anônimo disse...

Sabia que estava engasgada, muito quieta, sabia que viria algo, só não imaginava superar o que dificilmente se supera, nós mesmos.

Anônimo disse...

é só fechar os olhos pra dormir...

exercite...

p. Trv disse...

a fórmula se realizava tantas vezes: sentir a coisa sem possuí-la

Anônimo disse...

Cadê seu email, alter ego, desvenda?

Lg. disse...

luana.uel@gmail.com