quinta-feira, 5 de junho de 2008

.Sou uma mulher.



Sou as mesas e as cadeiras desse cabaré, sou o seu amor profundo, sou o seu lugar no mundo...





Sou a febre que lhe queima,
mas você não deixa.
Sou a sua voz que grita,
mas você não aceita.

Um comentário:

Doce disse...

É a minha mulher!

Amo!