quarta-feira, 18 de junho de 2008

.Charles amigo.

Na primeira cena do filme, baseado na vida e obra do poeta de Charles Bukowski, o poeta beberrão Charles Serking, interpretado por Ben Gazarra , segurando uma garrafa de vinho diz:

“Chega de papo furado e vamos direto ao que chamam de ‘arte’.
Estilo.
Estilo é a resposta de tudo.
É um jeito especial de fazer uma tolice ou algo perigoso. Antes fazer uma tolice com estilo do que algo perigoso sem estilo. Fazer algo perigoso com estilo é o que eu chamo de arte. Uma tourada pode ser arte. O boxe pode ser arte. Amar pode ser arte. Abrir uma lata de sardinha pode ser arte.
Poucos têm estilo. Poucos mantêm o estilo. Já vi cães com mais estilo que os homens. Apesar de que poucos cães têm estilo. Gatos têm muito mais estilo.
Quando Hemingway estourou seus miolos teve estilo. Há pessoas que dão estilo. Joana D´arc tinha estilo. João Batista, Jesus, Sócrates, César, Garcia Lorca.
Conheci homens na prisão com estilo. Conheci mais homens na prisão com estilo do que fora.
Estilo faz a diferença. O jeito de se fazer, o jeito de ser feito.
Seis garças tranqüilas à beira de um lago… Ou você, saindo nu do banheiro, sem me ver.”

4 comentários:

Rafa disse...

Tenho vindo aqui constantemente, muito me agrada o visual, gostei de prosear com você mesmo que virtualmente, senti saudades e agora, depois de sanada minha dúvida, peço que sua recuperação termine em tempo hábil, férias sonhadas, eis que surge. Amo-te.

Anônimo disse...

Filme inesquecível, vi a primeira vez na sua casa no parque. Estilo!

Rafa disse...

Tenho uma pergunta, por que diabos você estaria revisitando o velho safado? óh querido bukowski, não que tenha preconceito de minha parte, mas você inteira já se arde.

Lg. disse...

Obrigada pela ardência querida, mas quando ao Buk só tenho a dizer que é uma questão de style rsss. Não é tão complicado assim, não acha?