sábado, 12 de fevereiro de 2011

.Eu até desdenhava minha imensa vocação para ser sozinha.

Por que era que eu precisava de ir por adiante. Diadorim e eu viemos, vim; de rota abatida. Mas, desse dia desde, sempre uma parte de mim ficou lá, com Otacília. Destino. Pensava nela. Às vezes menos, às vezes mais, consoante é da vida. Às vezes me esquecia, às vezes me lembrava. Foram esses meses, foram anos. Mas Diadorim, por onde queria, me levava. Tenho que, quando eu pensava em Otacília, Diadorim adivinhava, sabia, sofria.

Guimarães Rosa


6 comentários:

Anônimo disse...

Ninguém tem vocação para ficar sozinha minha linda, ainda mais você, tão sociável.

CG disse...

Já pensei algumas vezes o seguinte: como seria acordar com todo esse encanto ao lado, e ter a doçura de todas as poesias em um sorriso...
Ahhh... Mas eu já estive nessa situação...
Só me falta dormir com ela...

Lg. disse...

Nossa, verdade. Minha cabeça deu um passeio agora. Uma vez eu acordei e lá estava você, do lado da cama sentadinha me olhando. A coisa mais linda eu confesso. Não é muito bom dormir comigo, eu acordo, converso a noite, faço barulho ahuahuahauhaua Não estou mentindo!

CG disse...

Dormir não foi bem o que eu quis dizer, se é que me entende. rsrsrs

Lg. disse...

Você não muda! Eu me esforçando para deixar as coisas nas entrelhinhas e solta tudo! ahuahuahua

candeeiro verde disse...

olaa

visita o meu blog

http://cadernodaminhavida.blogspot.com

bom domingo**