terça-feira, 24 de novembro de 2009

.Pois de rombo na asa o caminho do céu me seria vedado.


Para onde vão os trens, meu pai? Para Mahal, Tamí, para Camirí, espaços no mapa, e depois o pai ria: também para lugar algum, meu filho, tu podes ir e ainda que se mova o trem tu não te moves de ti.

Um comentário:

suelen folego disse...

Pois as vezes nao sabemos se nos encontramos ou nos perdemos.