quinta-feira, 26 de novembro de 2009

.Descubro novos limites, eu perco o endereço.


Estou cansada, disse distanciando-se: falemos amanhã! Ah Judite se me sentisses, como minto a ti; Saberia desconstruir as idealizações. Saberia? E depois de saber, desconstruiria Judite, largaria-me aqui? És um animal, tu és um animal. Sentia que era, mas o sentir não atrelava-se a idéia de incorporar; Era, de fato, mas não queria ser. Não seja burra Judite, animal és tu, sou coisa maior, necessito ser, por horas, um potro. Chuto-te ao terminar de mamar Juju, mas, não a deixo; Estou te traindo, tenha postura.

LG


5 comentários:

Anônimo disse...

Ah luana luana, doce luana!

Rafa disse...

Luana, doce, falamos da mesma?

Anônimo disse...

Eu falo da minha luana...

Rafa disse...

ok, eu falo da minha!

p. Trv disse...

A posição relativa dos cabos e sua configuração de equilibrio definem a forma da superficie.