terça-feira, 14 de junho de 2011

.Eu me havia livrado do deserto.



Lembrei-me de ti, quando beijara teu rosto, devagar, devagar beijara, e quando chegara o momento de beijar teus olhos - lembrei-me de que então eu havia sentido o sal na minha boca, e que o sal de lágrimas nos teus olhos era o meu amor por ti. Mas, o que mais me havia ligado em susto de amor, fora, no fundo do fundo do sal, tua substância insossa e inocente e infantil: ao meu beijo tua vida mais profundamente insípida me era dada, e beijar teu rosto era insosso e ocupado trabalho paciente de amor, era mulher tecendo outra mulher, assim como me havias tecido, neutro artesanato de vida.

2 comentários:

CG disse...

When laying, with you, I could stay there.
Close my eyes, feel you here forever
You and me together, nothing is better!

Lyh Teixeira disse...

Suas palavras despem sua alma de uma forma leve como inspirar. Muito bom apreciar seus escritos.