terça-feira, 4 de setembro de 2007

Penso em tudo o que me disseste

A Cartola do afeiçoado senhor trepidou sutilmente cumprimentando a formosa donzela. Logo pela manhã o dia fazia-se agradável. De sol calmo. Uma parada no requintado café ORLEANS. A visita à loja de vinil era indispensável, porém, apenas desta vez, para evitar o atraso, rumou ao encontro de Sofia. Alguém em todo aquele vilarejo pensava nos prazeres da carne.

lg

9 comentários:

Anônimo disse...

E se não pensava passou a pensar!

Vc sabe... disse...

Não posso mentir, aquele lg ali no canto faz os olhos ficarem mais atentos.

RA disse...

E se eu morasse nesse vilarejo.

Era ondulado. disse...

Quem me dera ser sofia...Lembro-me tão bem das tuas mãos. Lembro-me tão bem de me lembrar. Águas tranquilas ao longe, muros vermelhos tão perto. E da próxima vez atravessarás a noite tão grande.

Luana.g disse...

A lembrança e a exatidão por não ser tenra pode propiciar vários pedidos de desculpas. Poderia continuar ondulado, pode até ser liso, graças por não perder a essência.

Mariliza Silva disse...

Bem francês ou quem sabe bem sulista!

Beijão

Mariliza

Agente social-20 disse...

Tu escreves porque o instante existe
E a tua vida não está completa
Não é alegre nem triste
é poeta

Irmã das coisas fugidias
Não sente gozo nem tormento
Atravessa noites e dias
no vento

Se desmorona ou se edifica
Se permanece ou se desfaz
-não sei,não sei.Não sei se fica
ou sai

Sei que canta e a canção é tudo
Tem sangue eterno a asa ritmada
e um dia sei que estarás muda
-mais nada. . .

Luana.g disse...

A Magia da Poesia - Cecília Meireles

Doce disse...

e todo o vilarejo espera....
e entre tantos um coração pulsa, conta os dias, as horas e até os minutos para que o encontro aconteça!
Estou aqui por vc e com vc SEMPRE!
TE AMO!