domingo, 16 de setembro de 2007

Infelizmente a aparência é um dado imediato diferente da essência.


Chamei de mau gosto o que vi, de mau gosto o mau gosto
É que Narciso acha feio o que não é espelho
E a mente apavora o que ainda não é mesmo velho
Nada do que não era antes quando não somos mutantes
E foste um difícil começo, afasto o que não conheço
E quem vem de outro sonho feliz de cidade
Aprende depressa a chamar-te de realidade
Porque és o avesso do avesso do avesso do avesso


6 comentários:

Anônimo disse...

É a fada verde meio azulada? kkkk

Ra disse...

Fiquei com vontade de beber aquilo, o que é? Vamos Lu, diga!

O p. disse...

Ainda não havia pra mim Rita lee a sua mais perfeita tradução...

A realidade é a unidade de duas dimensões

E esse blog é minha rotina.

Anônimo disse...

sem dúvida.

Anônimo disse...

Perfeito!

Anônimo disse...

crítica crítica da crítica à crítica.
MARX