sexta-feira, 6 de março de 2009

.Eu, eu mesma e Irene!


Preciso escrever. Afinal o blog é meu e apenas empresto para outros autores que daqui fazem passarela. O tema em debate é: existem algumas etapas em nossas vidas que parecem infinitas, daria para enumerá-las, todavia tente, quando dispor de tempo, protocolar algo, conseguir uma segunda via de alguma coisa, etc, etc... são tarefas difíceis, quase impossíveis, e chegam a ser tão tensas, tensíssimas, que se quer você tem vontade de passar para a próxima etapa.


Lista de algumas coisas horripilantes: esperar o resultado do vestibular, conseguir se matricular depois da oitava vez que você vai até o local (isso porque você teve que voltar para casa em busca de ‘n’ documentos que eles exigem), requerer mudança de horário, enfim, qualquer coisa que envolva a burocracia, que deveria ser ‘burrocracia’, mas está valendo.


Esses dias, para ser mais específica – hoje – tentei fazer uso do protocolo geral de uma instituição dessas, digamos, governamental, veja só, cheguei com uma papelada que só quem junta sabe o trabalho que dá e perguntei, e diga-se de passagem, da maneira mais educada que se poderia:


- Está tudo em ordem com os papéis?


A menina, uma daquelas que nunca sabem responder nada, que por coincidência trás no peito a frase “estágio solidário” disse:


- Não sei!


Na hora a minha expressão foi ‘como não?’, mas relutei em fazer essa pergunta, reformulei e disse:


- E se não estiver correto, ou faltar algum papel, o que acontecerá?


- Daqui um mês (ou mais) a hora que sair o resultado do seu requerimento ele aparecerá como recusado, caso seu protocolo esteja incompleto!


Não é o máximo! As pessoas olham pra você como se fizesse parte do seu cotidiano mexer com formulários e fichas, como se você protocolasse papéis desde criança, tão fácil como passar margarina no pão, e a sensação de não saber passar margarina é terrível. Terminei o protocolo, completo ou incompleto, não sei, e fui tomar um suco de maracujá, afinal quem não precisa dele quando o processo em questão levará uma eternidade!


LG

2 comentários:

Ca disse...

Gente eu passei e passou pela mesma coisa, é terrivel mesmo depender da "burrocracia" como você disse, mas se não enfrentarmos ela não temos chance de conseguir um certo destaque, que mal lhe pergunte, o que você protocolou? Beijo Lu.

Lg. disse...

Então cá eu protocolei uma IC (iniciação científica) junto com o projeto de pesquisa da Zezé, mas é complicado porque não sabem informar quando sai o resultado e onde sai, ou seja, como ficarei sabendo? É uma grande incôgnita que irrita a gente, mas vamos nessa que a vida tem pressa rsss e nas palavras dos nossos orientadores: "não é porque não foi aprovado ainda que vocês devem parar de trabalhar, é tudo questão de tempo".