quarta-feira, 28 de março de 2007

Né!

Mantínhamos um velho criado, cujo nome era Wright, trabalhando todos os dias, embora fosse pago por semana, mas ele fazia rodas por oficio. Certa manhã aconteceu que, tendo uma carroça quebrada na escada, o velho foi chamado para consertá-la no lugar em que o veiculo se encontrava: enquanto ele estava ocupado fazendo seu trabalho, passou um camponês que o conhecia , e o saudou com o cumprimento de costume: Bom dia, velho Wright, que Deus o ajude a terminar logo o seu trabalho. O velho levantou os olhos para ele e, com uma grosseria divertida, respondeu: Pouco me importa se ele ajuda ou não, trabalho todo dia.

3 comentários:

Doce disse...

é a minha escritora favorita!


amO!

Anônimo disse...

Sim,sim. . . a guría define bem seus pensamentos no papel. . .

Não ligo se o escritor
É leviano ou denso,
Nem me importa se livro
É pequeno ou imenso
Eu gosto é de autor
Que só pensa o que eu penso.

lua disse...

É tão sútil