sexta-feira, 7 de novembro de 2008

.O príncipe televisivo.

É uma maravilha a possibilidade de combinar o rigor do conceito com a beleza da metáfora, é uma glória, pois se nós nos remetermos aos grandes cientistas encontraremos metáforas maravilhosas, como Adam Smith, a mão invisível, ou Max Weber , o desencantamento do mundo. O rigor do pensamento científico não impede, ou melhor, ele se beneficia da habilidade do autor que não só embeleza uma frase, mas torna mais claro a sentença.

2 comentários:

Wilson Guerra disse...

Há coisas (muitas) que ficam melhor expressas na forma de metáforas. E é comum nas ciências e nas artes. Deve ser por isso que é tão encantador.

Gregório disse...

Um modo artístico de fazer ciência.
Transformar uma cognição taciturna em uma outra prazerosa, divertida e que realmente complemente a vida é possível!