segunda-feira, 31 de março de 2008

.A visita.


Foi assim uma surpresa. Defendeu todas as características que as surpresas trazem consigo. Alegria. Espanto. Felicidade. Admiração. Coração ofegante. Bom, só compreende quem já recebeu uma ou quem já fez uma, muito agradável é ser uma surpresa para alguém, inesquecível é ser o alvo de uma surpresa.

A Surpresa por ser amiga fidelíssima Do (Inesperado) bate a porta sempre que desacreditam que ela exista.

Caso pudesse descrever a surpresa diria que ela é uma menina ruiva, pequena, deve ter 8 anos aproximadamente, serelepe, cheia de sardas (característica das crianças branquinhas de cabelo amarelado) com um vestido vermelho e uma fita de cetim no cabelo.

Uma menininha ruiva porque todas elas me lembram sorrisos largos; pequena porque tem o sentimento mais puro que já observei, 8 anos por carregar consigo uma vida toda pela frente para aparecer em minha casa; serelepe por me passar a melhor vibração do mundo; cheia de sardas: pois cada marquinha é um pedido, daqueles que se cruzam os dedos, para que ele se realize. Dentre tantas pintinhas não existe uma que eu não saiba localizar; o vestido vermelho foi porque pensei mesmo em ter vivido um conto de fadas e lá existem bastante vestidinhos e chapeuzinhos; quanto a fita no cabelo não teve nada alusivo as pequenas burguesas filhas de europeus e sim ao caráter de reluzir o laço mais delicado que prendeu por hora minha atenção.

Enfim veio, deixou uma cesta cheia de suavidade, doçura e saquinhos com sentimentos sortidos.

lg

4 comentários:

Anônimo disse...

Deus que coisa linda.

Anônimo disse...

Ei vi esses dias que você bloqueou os anônimos, por uma lado é bom, mas também é gostoso as vezes deixar qualquer recado, adoreiiiiiiii o texto, uma delicia de ler.

Tali disse...

Garotinha você me instiga a escrever.

Doce disse...

Ja parou pra pensar na possibilidade de ser a visita a parte mais feliz da história..ã ã ã
Não sei exatamente como funciona em outras mas nesta história especifica digo de pronto:
A VISITA não consegue até hoje esconder o sorriso na face...aliás felicidade pra mim é algo que deve ser explicito.
TE AMO!