sábado, 16 de junho de 2007

Olê, olê, olê, olá

Não chore ainda não, que eu tenho um violão

E nós vamos cantar
Felicidade aqui pode passar e ouvir
E se ela for de samba há de querer ficar
Seu padre toca o sino que é pra todo mundo saber
Que a noite é criança, que o samba é menino
Que a dor é tão velha que pode morrer
...
Meu pinho, toca forte que é pra todo mundo acordar
Não fale da vida, nem fale da morte
Tem dó da menina, não deixa chorar
...
Luar, espere um pouco, que é pra o meu samba poder chegar
Eu sei que o violão está fraco, está rouco
Mas a minha voz não cansou de chamar
Olê, olê, olê, olá
Tem samba de sobra, ninguém quer sambar
Não há mais quem cante, nem há mais lugar
O sol chegou antes do samba chegar
Quem passa nem liga, já vai trabalhar
E você, minha amiga, já pode chorar

Chico

3 comentários:

Anônimo disse...

As vezes o chico dá uma dor no coração.

Nessa disse...

Teve samba hoje, por que vc não foi? Ficamos te esperando, pensei que vc falou que tinha gostado do outro!!! Vai ver só!

Doce disse...

beijo e beijo e mais beijos!