sexta-feira, 24 de abril de 2009

.E amor é sede depois de se ter bem bebido...



Não direi:
Que o silêncio me sufoca e amordaça.
Calada estou, calada ficarei,
Pois que a língua que falo é de outra raça.


Porque já eras minha sem eu saber sequer. Porque tu chegaste sem me dizer que vinha e tuas mãos foram minhas com calma. Porque foste em minh´alma como um amanhecer, porque foste o que tinha de ser.



4 comentários:

Lari. disse...

Ei moça...não sei muito o que dizer, mas sei o que indicar.

Como se fosse verdade encantações, poemas

Como se Aquele ouvisse arrebatado

Teus cantares de louca, as cantigas da pena,

Como se a cada noite de ti se despedisse

Com colibris na boca.

E candeias e frutos, como se fosses amante

E estivesses de luto, e Ele, o Pai,

Te fizesse por isso adormecer...

(Como se se apiedasse porque humana

És apenas poeira,

E Ele o grande Tecelão da tua morte: a teia).

Como se fosse vão te amar e por isso perfeito.

Amar o perecível, o nada, o pó, é sempre despedir-se.

E não é Ele, o Fazedor, o Artífice, o Cego

O Seguidor disso sem nome? ISSO...

O amor e sua fome.

V disse...

como diria minha mãe quando indagada sobre o amor: O amor é como se fosse aquela saudade que vc sente da pessoa, que nunca passa!!
Eu amo ela.

V disse...

Eu te amo, simples e diz tudo!

Aspone disse...

"Amor, amor, amor. É tão bonito, quanto escrito num poema.
Amor, amor, amor. Devia ser a solução, mas é problema"
Nova música do Ultraje a Rigor, musica "Amor", acho que deu uma boa definição.